Biografia – George Mueller

Olá irmãos,

Finalmente concluída a tradução da biografia do amado servo de Deus George Mueller.

Penso que pelo que tenho conhecido de todos os servos do Senhor desde Abel, poucos foram tão honrados por Deus em sua obra como George Mueller. De fato Ele tem dado ainda hoje testemunho de Seu servo; que tão intimamente andou com Ele e o conheceu de modo que o testemunho que o Pai dá dele, glorifica ao Pai mesmo; de Quem são todas as fontes de George Mueller, e de Quem ele recebeu todas as coisas para ser quem é e fazer o que fez, e ainda mesmo agora, pelo testemunho que deixou, tem feito.

Penso que não muitos livros trouxeram mais edificação em minha vida do que o testemunho de George Mueller; e apesar de terem se passado mais de um século e Aquele que é O Edificador continuar Seu trabalho, certamente tal ‘pedra’ é de extrema importância para A OBRA.

Uma das verdadeiras marcas deste servo de Jesus certamente foi a fidelidade de sua mordomia com relação a tudo quanto recebeu de Seu Pai, quer dos recursos que são do céu quer dos que são da terra.

Como poderão perceber ao lerem esta biografia, é notável quanto dinheiro o servo humilde de Deus lidou com; e em conformidade com o caráter de Seu Senhor realizou os melhores investimentos, cuja recompensa está além do tempo. Ainda que não seja exatamente isto o principal testemunho, é um meio de se inspirar fé; a tantos de nós necessitados dos sinais de Deus; O qual apesar de querer que andemos por fé, conhece nossa debilidade e se compadece de Seus “homens de pouca fé”. Por este motivo, por ter sido do agrado do Senhor que Seu testemunho a Seu servo se desse assim, recomendo utilizarem dois sites para fazerem uma atualização e contemporização razoável dos valores monetários com os quais George Mueller administrou tanto quanto Deus lhe concedeu.

Em meus cálculos, usando como base o salario de um dentista o qual se encontra na biografia cheguei ao seguinte resultado que me pareceu razoável:
1 libra na Inglaterra em 1850 é equivalente a aproximadamente 379 reais no Brasil em 2017.
fontes: https://www.measuringworth.com/ukcompare/ e http://www4.bcb.gov.br/pec/conversao/conversao.asp

Finalmente, para todos os que desejam ser inspirados por Deus em Seu servo/presente à Sua amada, segue o link para ler e baixar a biografia:

Link: George Mueller de Bristol – por Arthur T. Pierson

Minha oração é que tal livro, o qual é de domínio público, ou seja, deve ser distribuído gratuitamente sem qualquer custo; possa abençoar a muitos e conduzir a muitos mais a lançarem-se por completo Naquele que tem cuidado por nós.

Em Jesus,

Um servo Dele.

Caso deseje ler alguns trechos, selecionei alguns para inspirá-lo e animá-lo a ler, os quais estão logo abaixo:

“Uma vida humana, cheia da presença e poder de Deus, é um dos melhores presentes de Deus para Sua igreja e para o mundo.”

“regozijando-se que, em cada alargamento da obra, seria mais aparente o quanto um pobre homem, simplesmente confiando em Deus, pode produzir com a oração; e que, assim, outros filhos de Deus possam ser levados a conduzir a obra de Deus em dependência unicamente Dele, e de modo geral a confiar Nele mais em todas as circunstâncias e posições.”

“Em todo esse múltiplo trabalho que o Sr. Mueller fez ele foi, até o fim, auto-abstraído. A partir do momento em que, em outubro de 1830, ele havia desistido de todo o salário fixo, como pastor e ministro do evangelho, nunca havia recebido qualquer salário, remuneração nem renda fixa, de qualquer espécie, seja como pastor ou como diretor da Instituição Para Conhecimento Das Escrituras (Scriptural Knowledge Institution). Ambos, princípio e preferência, o guiaram a esperar somente em Deus para todas as necessidades pessoais, como também para todas as necessidades de seu trabalho. No entanto, Deus colocou nos corações de Seus filhos crentes em todas as partes do mundo, não apenas enviar doações em auxílio aos vários ramos da obra que o Sr. Mueller supervisionou, mas para enviar-lhe dinheiro para seu próprio uso, bem como roupas, alimento, e outros suprimentos temporais. Ele nunca se apropriou de um penny o qual não fosse de alguma forma indicado ou designado como para suas próprias necessidades pessoais, e sujeito ao seu pessoal julgamento. Nenhum aperto de necessidade individual ou familiar jamais o levou a usar, nem por um tempo, o que lhe foi enviado para outros fins. Geralmente, as doações designadas a ele mesmo estavam embrulhadas em papel com o seu nome escrito nela, ou de outras formas igualmente distintas definidas como sendo para ele. Assim, já em 1874 sua renda anual chegou para mais de duas mil e cem libras. Poucos ministros não-conformistas, e não um em vinte do clero do estabelecimento estatal tem qualquer renda tal, que em média é de aproximadamente seis libras por cada dia do ano – e tudo isso veio do Senhor, simplesmente em resposta à oração, e sem apelo de qualquer espécie ao homem ou mesmo a revelação de necessidades pessoais. Se acrescentarmos legados pagos no final do ano de 1873, a renda total do Sr. Mueller, em cerca de treze meses, ultrapassaria três mil e cem libras. Disto ele deu; de todas as formas aos necessitados, e para a obra de Deus, toda a quantidade salva, foi cerca de duzentos e cinquenta, gastas em necessidades pessoais e familiares; e assim começou o ano de 1875 tão pobre como tinha começado quarenta e cinco anos antes; e se suas despesas pessoais fossem examinadas, iria ver-se que até mesmo o que ele comia, bebia e usava era com a mesma conscienciosidade despendida para a glória de Deus, de modo que em um verdadeiro sentido podemos dizer que ele não gastou nada consigo mesmo.”

“”Houve um dia em que eu morri, morri totalmente;”
E, enquanto falava, inclinou-se cada vez mais para baixo até quase tocar no chão –
“morri para George Mueller, suas opiniões, preferências, gostos e vontade – morri para o mundo, sua aprovação ou censura – morri para a aprovação ou culpa mesmo de meus irmãos e amigos – e desde então tenho estudado apenas para apresentar a mim mesmo “aprovado diante de Deus.”””

“As reais respostas de Deus à oração frequentemente parecem negações. Sob o pedido exterior, Ele ouve a voz do desejo interior e Ele responde à mente do Espírito, e não às imperfeitas e talvez equivocadas palavras, nas quais o anseio procura expressão. Além disso, Sua infinita sabedoria vê que uma bênção maior pode ser nossa, somente pela retenção do bem menor que buscamos; e assim toda a verdadeira oração confia em que Ele dê Sua própria resposta, não à nossa maneira ou tempo, nem mesmo em nosso próprio desejo expresso, mas antes em Seu próprio gemido inexprimível dentro de nós o qual Ele pode interpretar melhor do que nós.”

“Ele me levou, em uma medida, a ver qual é a minha verdadeira glória neste mundo, até mesmo em ser desprezado, e ser pobre e vil com Cristo. Eu vi então, em uma medida, embora eu tenha visto isso mais plenamente desde então, que é prejudicial ao servo procurar ser rico, e grande, e honrado neste mundo onde seu Senhor foi pobre, e vil, e desprezado.”

Link: George Mueller de Bristol – por Arthur T. Pierson

O Julgamento de Adão

Deus é verdadeiramente justo, e talvez muitos não compreendam claramente Sua justiça.

Quando Deus criou o primeiro homem, é dito que Ele o fez à Sua própria imagem e semelhança. Basicamente isso significa que Deus estava fazendo uma miniatura, uma criatura dentre tudo quanto estava criando, que mais o expressasse e mais se parecesse com Ele em todos os aspectos.

Podemos seguramente dizer que Deus não se esqueceu de nada, aquela criatura foi feita com todos os atributos necessários para cumprir todo o proposito pelo qual Deus a havia criado; representa-lo neste mundo, ser tal qual um embaixador de Deus e com Deus mesmo governar a Terra.

Ainda assim lemos como o primeiro homem falhou, caiu em tentação e comeu do fruto proibido desobedecendo a Deus. Tal única decisão trouxe sobre a humanidade e a Terra consequências extremamente catastróficas. Ainda que Deus tenha estabelecido tudo de forma harmônica e perfeita, por causa do pecado de Adão, tudo veio a se perder.

Vamos ler juntos como Deus o julgou:

E ao homem declarou: “Visto que você deu ouvidos à sua mulher e comeu do fruto da árvore da qual eu lhe ordenara que não comesse, maldita é a terra por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias da sua vida. Ela lhe dará espinhos e ervas daninhas, e você terá que alimentar-se das plantas do campo. Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará”.
Gênesis 3:17-19

Veja só: uma única ação de Adão trouxeram consequências terríveis sobre a Terra e sobre o próprio homem. Primeiramente a Terra foi amaldiçoada, e ao invés de produzir coisas deliciosas para nossa satisfação e nutrição, produziria também agora espinhos e ervas daninhas. Em consequência disso a vida do homem já não seria nada agradável, mas para que mantivesse sua vida nesse mundo ele teria de pelejar e sofrer; e para concluir, sua vida teria um fim desolador e medíocre, viraria pó (nada), a realidade última de sua péssima escolha.

Muitos podem pensar que Deus tenha sido muito rigoroso em um ato tão inofensivo do primeiro homem, afinal ele cometeu um erro, uma única vez. Os que pensam assim não percebem o aspecto maligno e contaminador da desobediência, é como o câncer, a lepra, se você não o retirar já no inicio contaminará e destruirá tudo o mais.

E de fato, foi isso mesmo o que aconteceu, a desobediência de Adão contaminou como um “vírus”; uma “doença” hereditária, toda a sua descendência para sempre. De maneira que ainda hoje todos os homens que respiram estão debaixo da mesma e única maldição sem nenhuma forma de escaparem.

Vamos ler um verso em Romanos o qual irá confirmar isso:

Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;
Romanos 5:12

A morte, é o tornar pó; é como uma casa que tendo sido construída for derrubada e esmiuçada por uma máquina ou dinamitada. O homem foi formado/construído pela Palavra Viva de Deus, e sem ela, ao desprezá-la pela desobediência, ele iria se tornar em um monte de “entulho”.

Certamente que isso fez da Terra um lugar terrível, como um tenebroso conto de uma maldição sem fim…

Mas realmente Deus já tinha isso em mente, e antecipadamente já havia pensado e providenciado a solução. Graças a Ele por Sua tão imensa sabedoria e poder!!

Leia comigo:

Cristo nos redimiu da maldição da lei quando se tornou maldição em nosso lugar, pois está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro”.
Gálatas 3:13

Aleluia!! Redenção!! É o que o texto diz! Todos estávamos cativos à maldição do pecado, subjugados ao seu perverso domínio, sem nenhuma esperança de salvação, mas eis que o Leão da tribo de Judá venceu! Destruiu as grades da maldição e libertou Seu povo para sempre!

Se fosse contar todas as realizações que o Ungido de Deus conquistou na cruz, creio que não iriam caber nesse post rsrs. Mas quero me ater a duas questões que abordei em relação ao julgamento de Adão: maldição da Terra e maldição ultima (morte).

Vou começar pela última:

Veja a declaração de Paulo em Romanos 5:

Consequentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos. A lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado, transbordou a graça, a fim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.
Romanos 5:18-21 (é bom ler todo o capítulo)

Veja, que tendo todo o “lote”, toda a árvore genealógica a partir de Adão ter sido descartada; contaminação generalizada haha. Deus então, semeou Seu amado Filho Unigênito neste mundo, para através Dele gerar uma nova “prole”, fruto de uma semente incorruptível, possuindo ela mesma a exata Vida de Deus e produzindo então está nova e gloriosa “árvore” santa e abençoada que produz frutos de justiça para Deus.

Não que Deus tenha tomado a massa corrupta de Adão (abrangendo todos os seus filhos) e a reformado ou esterilizado; mas Ele criou algo totalmente novo, de uma matéria totalmente única e distinta da antiga. Toda a velha massa, o corpo de toda a descendência de Adão, ainda esta devidamente destinada à morte, fulminação única e eterna. Como está escrito: “Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês…” Cl 3:5a.

Assim, Deus, através de Seu Filho amado criou em si mesmo um novo “homem” (o corpo dos descendentes de Jesus), constituído de uma nova e pura natureza; a qual pode resistir (não ser consumida/destruída) no dia do juízo de Deus!

Graças a Deus por tão grande graça!!

E quanto à maldição da Terra? Certamente que a salvação de Deus para a nossas vidas é sem duvida nosso maior tesouro; mas e quanto às demais coisas?

Tenho realmente pensado que ao Jesus ter-se feito maldição por ser pendurado no madeiro; assumiu não somente a maldição que pesava sobre nós, humanidade, mas ainda mesmo à que pesava sobre todo o universo!

Assim sendo, Sua autoridade e poder são não somente sobre nós para curar um paralitico por exemplo, mas ainda mesmo sobre a Terra; em sobrepor a maldição de se obter pão pelo suor do rosto; já que o próprio Jesus mesmo estava, naturalmente falando, sobre a linhagem e hereditariedade de Adão, e desse modo sujeito ao juízo de Deus por essa linhagem; quando por meio de uma só palavra de agradecimento e benção sobre os “cinco pães e dois peixinhos” fez uma multiplicação singular jamais antes vista na história humana sem “sofrer” um único suor para tal abundância.

A realidade é que toda a autoridade tem sido dada a Ele, sobre tudo, e em todos os lugares. Seu poder tem transpassado tudo, superado toda e qualquer maldição, pois Ele é o Filho do Homem.

Assim como aqueles que são Dele, tem recebido poder para superarem a maldição da morte, e viverão com Ele para sempre a partir da nova vida que tem recebido de Deus mesmo. Do mesmo modo a vida de sofrimento pela maldição à Terra também está sob Sua autoridade e poder, de modo tal que: se Sua vida é dominante em nosso interior, Sua autoridade irá se expressar também em relação ao fazer “pão”; e ao termos a mesma atitude de gratidão, e tão somente abençoarmos o que temos recebido de Suas mãos, te digo que também isso, o sofrimento e suor do rosto, não cairá sobre nós!

Mas calma! Não estou querendo dizer que não há necessidade de se trabalhar; na verdade acredito que devemos trabalhar sem cessar haha (favor ler o post sobre O Trabalho). O que quero dizer é que o Ungido de Deus tomou sobre si A Maldição, e proporcionou uma redenção para toda a criação! Tal redenção já pode ser de fato vista em nossos dias, a qual tendo começado através do próprio Filho o qual disse “dá-lhes de comer” ou “Menina, levante-se”, tem-se estabelecido cada dia mais nesse mundo, a qual um dia brilhará como o sol em Seu precioso reino!!

Esses dois extratos: maldição da Terra e maldição da morte, são base para diversos se não todos os males deste mundo; e é preciso compreender que nosso Senhor tem providenciado uma redenção/salvação para todos eles, Sua autoridade é sobre todos eles, e não há nada que não Lhe esteja sujeito e ao qual Ele não possua poder para superar em justiça.

A paz de Jesus! 🙂