O Julgamento de Adão

Deus é verdadeiramente justo, e talvez muitos não compreendam claramente Sua justiça.

Quando Deus criou o primeiro homem, é dito que Ele o fez à Sua própria imagem e semelhança. Basicamente isso significa que Deus estava fazendo uma miniatura, uma criatura dentre tudo quanto estava criando, que mais o expressasse e mais se parecesse com Ele em todos os aspectos.

Podemos seguramente dizer que Deus não se esqueceu de nada, aquela criatura foi feita com todos os atributos necessários para cumprir todo o proposito pelo qual Deus a havia criado; representa-lo neste mundo, ser tal qual um embaixador de Deus e com Deus mesmo governar a Terra.

Ainda assim lemos como o primeiro homem falhou, caiu em tentação e comeu do fruto proibido desobedecendo a Deus. Tal única decisão trouxe sobre a humanidade e a Terra consequências extremamente catastróficas. Ainda que Deus tenha estabelecido tudo de forma harmônica e perfeita, por causa do pecado de Adão, tudo veio a se perder.

Vamos ler juntos como Deus o julgou:

E ao homem declarou: “Visto que você deu ouvidos à sua mulher e comeu do fruto da árvore da qual eu lhe ordenara que não comesse, maldita é a terra por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias da sua vida. Ela lhe dará espinhos e ervas daninhas, e você terá que alimentar-se das plantas do campo. Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará”.
Gênesis 3:17-19

Veja só: uma única ação de Adão trouxeram consequências terríveis sobre a Terra e sobre o próprio homem. Primeiramente a Terra foi amaldiçoada, e ao invés de produzir coisas deliciosas para nossa satisfação e nutrição, produziria também agora espinhos e ervas daninhas. Em consequência disso a vida do homem já não seria nada agradável, mas para que mantivesse sua vida nesse mundo ele teria de pelejar e sofrer; e para concluir, sua vida teria um fim desolador e medíocre, viraria pó (nada), a realidade última de sua péssima escolha.

Muitos podem pensar que Deus tenha sido muito rigoroso em um ato tão inofensivo do primeiro homem, afinal ele cometeu um erro, uma única vez. Os que pensam assim não percebem o aspecto maligno e contaminador da desobediência, é como o câncer, a lepra, se você não o retirar já no inicio contaminará e destruirá tudo o mais.

E de fato, foi isso mesmo o que aconteceu, a desobediência de Adão contaminou como um “vírus”; uma “doença” hereditária, toda a sua descendência para sempre. De maneira que ainda hoje todos os homens que respiram estão debaixo da mesma e única maldição sem nenhuma forma de escaparem.

Vamos ler um verso em Romanos o qual irá confirmar isso:

Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;
Romanos 5:12

A morte, é o tornar pó; é como uma casa que tendo sido construída for derrubada e esmiuçada por uma máquina ou dinamitada. O homem foi formado/construído pela Palavra Viva de Deus, e sem ela, ao desprezá-la pela desobediência, ele iria se tornar em um monte de “entulho”.

Certamente que isso fez da Terra um lugar terrível, como um tenebroso conto de uma maldição sem fim…

Mas realmente Deus já tinha isso em mente, e antecipadamente já havia pensado e providenciado a solução. Graças a Ele por Sua tão imensa sabedoria e poder!!

Leia comigo:

Cristo nos redimiu da maldição da lei quando se tornou maldição em nosso lugar, pois está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro”.
Gálatas 3:13

Aleluia!! Redenção!! É o que o texto diz! Todos estávamos cativos à maldição do pecado, subjugados ao seu perverso domínio, sem nenhuma esperança de salvação, mas eis que o Leão da tribo de Judá venceu! Destruiu as grades da maldição e libertou Seu povo para sempre!

Se fosse contar todas as realizações que o Ungido de Deus conquistou na cruz, creio que não iriam caber nesse post rsrs. Mas quero me ater a duas questões que abordei em relação ao julgamento de Adão: maldição da Terra e maldição ultima (morte).

Vou começar pela última:

Veja a declaração de Paulo em Romanos 5:

Consequentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos. A lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado, transbordou a graça, a fim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.
Romanos 5:18-21 (é bom ler todo o capítulo)

Veja, que tendo todo o “lote”, toda a árvore genealógica a partir de Adão ter sido descartada; contaminação generalizada haha. Deus então, semeou Seu amado Filho Unigênito neste mundo, para através Dele gerar uma nova “prole”, fruto de uma semente incorruptível, possuindo ela mesma a exata Vida de Deus e produzindo então está nova e gloriosa “árvore” santa e abençoada que produz frutos de justiça para Deus.

Não que Deus tenha tomado a massa corrupta de Adão (abrangendo todos os seus filhos) e a reformado ou esterilizado; mas Ele criou algo totalmente novo, de uma matéria totalmente única e distinta da antiga. Toda a velha massa, o corpo de toda a descendência de Adão, ainda esta devidamente destinada à morte, fulminação única e eterna. Como está escrito: “Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês…” Cl 3:5a.

Assim, Deus, através de Seu Filho amado criou em si mesmo um novo “homem” (o corpo dos descendentes de Jesus), constituído de uma nova e pura natureza; a qual pode resistir (não ser consumida/destruída) no dia do juízo de Deus!

Graças a Deus por tão grande graça!!

E quanto à maldição da Terra? Certamente que a salvação de Deus para a nossas vidas é sem duvida nosso maior tesouro; mas e quanto às demais coisas?

Tenho realmente pensado que ao Jesus ter-se feito maldição por ser pendurado no madeiro; assumiu não somente a maldição que pesava sobre nós, humanidade, mas ainda mesmo à que pesava sobre todo o universo!

Assim sendo, Sua autoridade e poder são não somente sobre nós para curar um paralitico por exemplo, mas ainda mesmo sobre a Terra; em sobrepor a maldição de se obter pão pelo suor do rosto; já que o próprio Jesus mesmo estava, naturalmente falando, sobre a linhagem e hereditariedade de Adão, e desse modo sujeito ao juízo de Deus por essa linhagem; quando por meio de uma só palavra de agradecimento e benção sobre os “cinco pães e dois peixinhos” fez uma multiplicação singular jamais antes vista na história humana sem “sofrer” um único suor para tal abundância.

A realidade é que toda a autoridade tem sido dada a Ele, sobre tudo, e em todos os lugares. Seu poder tem transpassado tudo, superado toda e qualquer maldição, pois Ele é o Filho do Homem.

Assim como aqueles que são Dele, tem recebido poder para superarem a maldição da morte, e viverão com Ele para sempre a partir da nova vida que tem recebido de Deus mesmo. Do mesmo modo a vida de sofrimento pela maldição à Terra também está sob Sua autoridade e poder, de modo tal que: se Sua vida é dominante em nosso interior, Sua autoridade irá se expressar também em relação ao fazer “pão”; e ao termos a mesma atitude de gratidão, e tão somente abençoarmos o que temos recebido de Suas mãos, te digo que também isso, o sofrimento e suor do rosto, não cairá sobre nós!

Mas calma! Não estou querendo dizer que não há necessidade de se trabalhar; na verdade acredito que devemos trabalhar sem cessar haha (favor ler o post sobre O Trabalho). O que quero dizer é que o Ungido de Deus tomou sobre si A Maldição, e proporcionou uma redenção para toda a criação! Tal redenção já pode ser de fato vista em nossos dias, a qual tendo começado através do próprio Filho o qual disse “dá-lhes de comer” ou “Menina, levante-se”, tem-se estabelecido cada dia mais nesse mundo, a qual um dia brilhará como o sol em Seu precioso reino!!

Esses dois extratos: maldição da Terra e maldição da morte, são base para diversos se não todos os males deste mundo; e é preciso compreender que nosso Senhor tem providenciado uma redenção/salvação para todos eles, Sua autoridade é sobre todos eles, e não há nada que não Lhe esteja sujeito e ao qual Ele não possua poder para superar em justiça.

A paz de Jesus! 🙂

A Rebeldia Oculta (Contra Deus)

É fácil achar que estamos na obediência e submissão a Deus se temos uma vida “regrada” sem bebedeira, pegação, e outros pecados mais aparentes. Porém existe também um tipo de rebeldia muito comum, a rebeldia oculta.

Isto é quando andamos por nosso próprio entendimento, tomamos as decisões segundo nossos próprios desejos ou pensamentos e não pelo Espirito. Este tipo de rebeldia muitas vezes fica como algo oculto porque nós mascaramos a coisa (ate para nos mesmos) conduzindo nossas vidas conforme uma “Ética Crista”. Evitamos os pecados mais óbvios e superficiais e nos justificamos diante da sociedade, a igreja, e nossa própria consciência, passando a impressão que estamos “bem” com Deus.

Porem, o chamado de Deus é muito além de não cometer os “pecados mais grosseiros”. Ele quer que nós andemos segundo o seu Espirito em tudo, até nas coisas mais simples da vida. E quando nos recusamos a seguir a Sua orientação, por mais simples e “banal” que seja, estamos em rebeldia contra Ele.

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça (obedeça) o Senhor em TODOS os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas. Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema o Senhor e evite o mal.” Provérbios 3:5-6

“Portanto digo isto, e testifico no Senhor, para que não mais andeis como andam os gentios, na inutilidade da sua mente, obscurecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração” Efésios 4:17-18

Infelizmente, falo desta rebeldia oculta com muita propriedade. Isto apesar do fato que sempre tive uma vida relativamente “regrada” e aprovada pela maioria dos meus irmãos em Cristo e ate por mim mesmo muitas das vezes. Porém, encontro em mim muito da natureza carnal ainda, e “…o pensamento controlado por aquela parte de nós que é humana e pecadora está contra Deus. Esta natureza se recusa a obedecer à lei (e a direção) de Deus e, de fato, não é capaz de a ela obedecer. As pessoas que são governadas por aquela parte de nós que é humana e pecadora não podem agradar a Deus.” Romanos 8:7-8

Vejo o agir desta natureza carnal ainda com frequência demais! Posso não fornicar, adulterar, matar, roubar, xingar, e muitas outras coisas. Mas, se quando Deus pelo seu Espirito esta me levando a gastar tempo com meus pais, e eu prefiro (e então escolho) estar na internet ou fazendo outra coisa, assim estou em rebeldia contra Ele. Uso este exemplo tão comum para demonstrar a facilidade que eu tenho (e muitos de nós temos) de ser um rebelde de forma escondida. Não e nem uma questão “moral”, ficar na internet não e pecado por si só, mas quando é contrario a direção de Deus, qualquer coisa que fazemos é pecado e rebeldia.

Um grande exemplo (mais obvio) disto seria o profeta Jonas. Deus o mandou para Nínive, mas ele não quis ir, preferiu fugir para Társis. Társis não era um lugar ruim nos olhos de Deus. Todo mundo no mesmo barco também estavam indo para esta cidade, e Deus não ficou indignado com eles, somente com Jonas, porque ele estava rebelando contra a Sua direção.

Da mesma forma eu, (ou você) posso estar fazendo algo “normal”, sem nenhuma aparência de pecado, e estar em rebeldia contra o Senhor. Quanto mais banal e “normal”, mais facilmente é nos desculparmos e apaziguamos a nossa própria consciência. Dizemos para nos mesmos que não tem nada contra aquilo que estamos fazendo, que não esta entre nenhuma das listas de pecados na Bíblia ou em qualquer pregação que já ouvimos.

Porém, Deus não quer um povo que anda por regras, decidindo o que fazer apenas pelo “certo e errado”. Ele quer um povo intimo d’Ele, que anda segundo as Suas direções a cada momento, operando a Sua justiça na terra de uma forma que é impossível sem estar em plena rendição a Ele em tudo.

Este chamado para obediência a Deus em TUDO pode parecer muito elevado, impossível de atingir, e realmente é (para nossa natureza carnal). Pois, “Esta natureza (a nossa natureza carnal) se recusa a obedecer à lei (e a direção) de Deus e, de fato, não é capaz de a ela obedecer. As pessoas que são governadas por aquela parte de nós que é humana e pecadora não podem (é impossível) agradar a Deus.” Romanos 8:7-8

Eu posso através da minha natureza carnal, controlar os desejos mais fortes e não permitir que eles tornem algo externo, mas quando chega a hora de submeter a minha vontade a Cristo a cada momento, em TUDO, o “bicho” interior revolta. A minha natureza não consegue e nem quer isto. Ele só queria “obedecer” o suficiente para ser deixado em paz para viver a sua rebeldia oculta, sem ser perturbado pela consciência ou pela possibilidade de consequências futuras.

A única solução para ele (a minha e a sua natureza) então é a morte, porque se continuar vivo estará sempre lutando (mesmo que de forma escondida) contra o Espirito. “Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão (sempre) em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam” Gálatas 5:17

A nossa tendência quando convertemos a Cristo é (inconscientemente) passar a mão na cabeça da nossa natureza carnal e a consolar. Falamos mais ou menos assim (mesmo que sem perceber), “Agora você não vai poder mais fazer estas grosserias. Mas se você for bonzinho as pessoas vão te admirar, te dar reconhecimento, assim você pode continuar vivo e achar outras formas de se satisfazer. Precisamos fazer isto porque não queremos sofrer as consequências junto com os outros rebeldes.” E assim a minha (e a sua) natureza carnal entra para dentro da igreja de forma escondida.

Sem perceber protegemos a natureza carnal, a deixando continuar a viver e agir, mesmo que em forma oculta, e isto traz sérias consequências para nossas vidas. Vivemos em uma batalha interna constante, e somos privados do poder que seria nosso se somente nos entregássemos plenamente a Cristo para a crucificação da natureza carnal, para viver somente pelo o seu Espirito em nos.

“Os que (realmente) pertencem (completamente) a Cristo Jesus crucificam a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos (devemos andar) também pelo Espírito.” Gálatas 5:24-25 (Nota que diz, “Crucificam”, diferente de muitas traduções, o tempo do verbo correto no Grego é esse, algo atual – um processo pelo qual estamos passando hoje.)

Para evitar esta morte nossa carne e capaz de fazer coisas muito “boas” e religiosas, grandes “sacrifícios” e abnegação temporária, mas Deus diz, “Grite alto, não se contenha! Levante a voz como trombeta. Anuncie ao meu povo a rebelião dele, e à comunidade de Jacó (o povo “de Deus”), os seus pecados. Pois dia a dia me procuram; parecem desejosos de conhecer os meus caminhos, como se fossem uma nação que faz o que é direito e que não abandonou os mandamentos (a direção) do seu Deus. Pedem-me decisões justas e parecem desejosos de que Deus se aproxime deles. ‘Por que jejuamos’, dizem, ‘e não o viste? Por que nos humilhamos, e não reparaste?’ Contudo, no dia do seu jejum (sacrifício, oferta) vocês fazem o que é do agrado de vocês..” Isaías 58:1-3

Vejo isto em mim mesmo, posso fazer altas coisas e PARECER desejoso de conhecer o Senhor. Porém, mesmo enquanto estou fazendo tudo isso, tenho a tendência de fazer o que e do MEU agrado ao invés de seguir o Espirito. Sou rebelde especialmente nas coisas que eu avalio ser “pequenas” e “não importantes”, porque consigo mais facilmente passar por cima da Sua direção e criar desculpas para o meu agir nestas áreas. Faço isto porque realmente entregar a minha vontade totalmente a Ele significa morte para meu ego, meu eu, a minha natureza carnal que esta fingindo tão bem de ser bonzinho para passar despercebida. Mas esta natureza esta o tempo todo em rebelião oculta nas pequenas coisas, e se é nas pequenas, quando a coisa realmente apertar vai ser rebelde nas grandes também.

Que Deus tenha misericórdia de mim e me livre disto!!!

João